28 de set de 2014

As Desventuras de Um Pernilongo



Longuinho era um pernilongo. Mas um pernilongo diferente.
Desde muito cedo ganhara um violino de seus pais; e desde sempre,
não importa o lugar, mas sempre à noite, tocava-o continuamente.
Até os outros pernilongos diziam:
- Puxa, Longuinho, você e esse seu violino
é irritante pra caramba, heim! Vê se ¨manera¨ aí!!!
Mas à noite era uma balbúrdia total. Aquele silêncio nos quartos,
e lá estava Longuinho com seu violino, zunindo, zunindo.
Os irmãos, os primos e os amigos de Longuinho diziam:
- Olha aí, ¨broder¨, vê se você não chega muito perto
das pessoas; é muito arriscado! E Longuinho respondia: 
- Sou muito arisco. Ninguém consegue me pegar.
E hoje vou ver se toco uma música de Beethoven...
Mas mano, você é louco? Eles arrumaram um tal de Detefon
por aí, que é tiro e queda. É só eles apertarem, chi, chi, que
não sobra um! E Longuinho retrucava:
- Calma rapaziada, eu estou preparado para isso. Estou
usando máscara de oxigênio. Nenhum veneno me causa
efeito algum!
E lá ia Longuinho com seu violino. E tocava, tocava, tocava...
De repente a lâmpada se acende; alguém levanta, pega uma
lata de inseticida e, chi, chi, chi... Muitos pernilongos caem
atordoados, para a alegria das pessoas. Essas apagam a lâmpada
e voltam a dormir.
Mas um pernilongo, que estava usando máscara anti-inseticida,
continuava vivo; vivinho da silva. E continuava a tocar seu
violino, ininterruptamente. E ele chega a tal ponto que fica
enlouquecido pela música. Ignora tudo e todos. E nem percebe
que a luz está acesa novamente. Também não percebe que
seus amigos gritam para ele:
- Longuinho, cuidado...
Nesse instante, Longuinho os vê.
- Amigos, não se preocupem, eu estou com a máscara!
E eles insistem: - Longuinho, um chinelo, cuidado...
Tarde demais. O pernilongo leva uma chinelada caprichada,
e cai direto no chão.
Atordoado, só pensa em seu violino, que caíra a alguns centímetros.
Mas, antes que possa pega-lo, é esmagado pelo chinelo.
À distância, seus amigos e parentes nada puderam fazer.
Estava acabado. Longuinho estava morto. Era um pernilongo
promissor. Poderia se tornar um ótimo músico. Mas seu
temperamento não deixou. Se arriscara demais!
Mais tarde recolheram seu violino, e o levaram para
seus pais, que estavam internados em uma clínica
para repouso de pernilongos. Eles estavam inconsoláveis.
E todas as noites, quando adentra a madrugada, lá
estão os pernilongos, zunindo, zunindo.
Mas nenhum como aquele que sabia tocar como
ninguém um violino. Ziiiii... Ziiiii... Ziiiii




Essa história foi publicada no 
Jornal Diário da Tarde de BHz 
no dia 07 de janeiro de 1995.
Ela foi ilustrada pelo grande
Son Salvador, um multi homem,
pois o cara além de chargista,
cartunista, desenhista, escritor, 
já teve participações na TV e rádio
como comentarista esportivo
entre outras facetas. 
E nessa época o Jornal DT
como era carinhosamente 
chamado era líder em vendas
em todo o estado de Minas,
principalmente nas 2ªs feiras,
dia que o Grande Jornal dos
mineiros, O Estado de Minas não 
circulava. E nessa época aos sábados 

tinha a Revista Nacional. 
Um suplemento que valorizava a cultura e entretenimento
em geral. E abria espaço para novatos mostrarem
trabalhos na área de desenhos e artes em geral, denominado
DT Infantil. Fui colaborador durante muito tempo com
tiras (quadrinhos), e histórias infantis, a maioria, quase que
100% ilustradas por Son Salvador!





Não posso deixar de mencionar o Quinho, que também 
fazia parte do suplemento com sua ótimas ilustrações, 
e com o macaquinho Biriba e seus amigos. Além do 
Melado com a tira do Grafite. Muita gente boa
 passou naquele cantinho. Citando alguns,
 o Alves, tem um trabalho muito bom, inclusive já
 publicou na revista MAD. Também a Chantal, e sua tira 
Juventude, publicada no jornal Estado de Minas, 
João Marcos, criador do Mendelévio,
Cleuber Cristiano e seu Arroz Integral, Charles Araújo, 
com seus Meninos do Brasil, Eduardo com Os Invasores,
Laura Gomes, Lancaster, e muitos outros.



Sinto saudades do DT, principalmente das edições 
dos sábados e das segundas-feiras. Ficou uma lacuna
na midia de BHz, até hoje não preenchida!