2 de jul de 2013

AMOR E SORVETE







A chuva caiu. Trouxe vento e frio.
Molhou os cabelos da menina.
Ela colocou seus braços em volta dos seios.
Em seus olhos tinha lágrimas.
E ela pensou naqueles momentos de arrepio,
quando seu coração bateu, bateu, bateu
e não foi correspondido. De mais 
agora era o medo de amar novamente.
Pensou bem, e achou melhor ficar na sorveteria.
No outro dia sua consciência
estaria tranquila e calma.
O único problema seria calorias a mais;
mas isso, uma outra paixão resolveria.